Biopirataria no Brasil resumo

O tráfico de plantas e animais é um sério problema para a sociedade, pois causa prejuízos naturais e financeiros irrecuperáveis.

Aves em gaiolaO termo biopirataria foi criado em 1992, com assinatura na Convenção sobre Diversidade Biológica, realizada pela Organização das Nações Unidas. No tratado, que teve circulação através da Rio-92, ficou estabelecido que todos os países possuem soberania sobre a biodiversidade existente em seus territórios. O termo se popularizou, espalhando-se como um alerta sobre os vários perigos que transpassam o conhecimento das comunidades situadas em regiões com rica diversidade biológica e têm seus recursos apropriados e patenteados de forma indevida por empresas e instituições científicas multinacionais. Tais comunidades são prejudicadas pois não participam dos lucros produzidos por seu conhecimento.

A diversidade brasileira e seus problemas

Ilustração sobre biopiratariaO Brasil está em primeiro lugar no ranking dos países megabiodiversos, e é estimado que o pais tenha a maior diversidade biológica do planeta, com cerca de 150 mil espécies catalogadas e pesquisadas, o que representa 13% de todas as espécies existentes no mundo. A maioria desses recursos está na Amazônia, com mais de duas mil e quinhentas espécies de árvores e liderando ainda o ranking de espécies de peixes de água doce do planeta. Porém, a abundância de vida no Brasil é um ponto considerado vulnerável, uma vez que a grande maioria das espécies ainda não foi reconhecida pelos pesquisadores do país. Isto as torna presas fáceis para empresas, instituições e laboratórios internacionais que se apropriam deste conhecimento, através de patentes pedidas no mercado exterior.

                       

O tráfico de animais

bicho preguiçaSegundo pesquisas da ONU, o tráfico de animais caracteriza a terceira maior atividade ilegal do mundo, depois apenas do tráfico de drogas e armas. Só no Brasil, de todos os animais silvestres comercializados ilegalmente, acredita-se que aproximadamente 30% sejam exportados. O maior fluxo deste comércio se localiza do Nordeste para o Sudeste, principalmente para Rio de Janeiro e São Paulo. Outra parte dos animais contrabandeados vão diretamente para países vizinhos ao Brasil. Destes países, seguem então para países do primeiro mundo, onde são analisados como detentores de recursos que podem ser utilizados pela indústria local.

Problemas comuns

Abelha em florVale lembrar que o termo biopirataria se destina ao tráfico de plantas e animais, e neste cenário aparecem algumas curiosidades assustadoras. No mercado mundial de medicamentos, estima-se que 30% dos remédios sejam de origem vegetal, enquanto 10% sejam de origem animal. Acredita-se também que 25 mil espécies de plantas sejam utilizadas para a produção de medicamentos, e a falta de fiscalização das espécies nativas abre as portas para o processo da exportação ilegal, que dá ao Brasil um prejuízo diário estimado em 16 milhões de dólares.

Devemos ficar atentos para esta prática e reportar as autoridades sobre qualquer atividade suspeita. Outra dado interessante é que a internet é, atualmente, uma das formas mais utilizadas para a prática da venda ilegal dos animais silvestres.

Saiba mais sobre biopirataria

Nenhum voto, seja o primeiro


Amoedo
17/04/12


Mais informações por email.

Deixe uma resposta

Para comentar você precisa realizar seu login com o Facebook
  1. nossa amei o saite ,nos devemos colaborar sim contra a biopirataria

    julia
    18/11/12 às 11:06
  2. Essa é a verdade devemos muito colaborar denunciando as autoridades competentes,por um meio muito fácil usando a Internet.Valeu e valerá sempre.

    Maria Marques de Oliveira.
    18/04/12 às 16:57