Jogar água em Fukushima pode ter sido grande erro

Segundo especialista em energia nuclear, ter jogado água nos reatores da Central Nuclear de Fukushima, pode ter sido um grande erro.


Usina de FukushimaApós completado um ano de tragédia no Japão, o terremoto seguido de tsunami, que aconteceu em 11 de março de 2011, o número de estudos e reportagens a respeito do acontecido só aumentam. E assim novos e obscuros fatos continuam vindo à tona sobre o que aconteceu e as consequências não só para os moradores daquela região como para o mundo todo.

A afirmação do especialista em energia nuclear José Goldemberg, é bastante intrigante, segundo ele ter jogado água nos reatores da Central Nuclear de Fukushima, pode ter sido um grande erro.

         

Consequência da medida

Danos nos reatores da usina de FukushimaA medida tomada pelos japoneses, segundo o especialista, não foi totalmente correta, já que quanto mais água se joga mais hidrogênio se produz. Mas, em contra mão criaram uma zona de exclusão de cerca de 20 km de extensão, retirando toda a população. E a tendência é que toda a região de Fukushima fique abandonada, assim como aconteceu com Tchernobil, após o acidente nuclear ocorrido em abril de 1986, tornando-se uma cidade fantasma.

Números da tragédia

Montanha de entulhos JapãoOs números de consequências do avassalador tsunami estão sempre aumentando. Para se ter ideia a destruição se estendeu a 500 quilômetros de costa aproximadamente, totalizando um número de 20.629 pessoas mortas e desaparecidas, desse total 1.046 tinham 19 anos ou menos. A quantidade de entulho e lixos gerados pela tragédia também atingi números assustadores, são 22,53 milhões de toneladas, formando imensas montanhas, além da outra parte de lixo que flutua pelo oceano Pacífico em direção aos EUA.

O pior desastre nuclear da história enfrentada pelo Japão faz com que a economia do país continue a piorar e, assim a crise japonesa intensifica ainda mais a crise capitalista, devido ao papel que o país ocupa no sistema.

0 voto



Talita
12/03/12


Mais informações por email.

Deixe uma resposta

Para comentar você precisa realizar seu login com o Facebook

X
Curta a página