Trabalho escravo no Brasil colonial e imperial

O trabalho escravo no Brasil teve ênfase no período colonial com o tráfico de escravos, no imperial a abolição da escravidão tem início.

Mapa do BrasilEm meados de 1530, Portugal começava a efetiva colonização do Brasil, chamado de período colonial, através das Capitanias Hereditárias, conhecido como o regime do grande latifúndio. A plantação de açúcar tomava conta da faixa litorânea, necessitando assim de uma ampla mão de obra, o que fazia com que fosse inviável a utilização dos portugueses como mão de obra assalariada, por isso, o trabalho escravo foi a melhor maneira de se obter a mão de obra que o Brasil tanto precisava no período colonial e até o início do período imperial, já que os indígenas estavam protegidos pela Igreja Católica.

Visto como a melhor opção de mão de obra para o período colonial, o tráfico negreiro foi intensificado no Brasil colonial. Os escravos negros vinham da África, sendo altamente rendável a Coroa portuguesa, trazendo um desenvolvimento econômico desenfreado no período imperial. Já o Brasil Imperial está relacionado com a transição da escravização para o trabalho livre assalariado.

                       

Confira um pouco mais da história do trabalho escravo no Brasil colonial e imperial:

Escravos no Brasil colonial

Escravos trabalhandoDevido à proteção da Igreja Católica aos indígenas no período colonial e imperial, não permitindo o uso deles como mão de obra escrava e a necessidade de trabalho não assalariado, os escravos eram vistos como “Mercadorias Humanas”, os quais eram avaliados fisicamente e aqueles que tinham melhor condição física tinham um preço mais elevado. No Brasil colonial o preço dos escravos era mais elevado que o próprio preço das terras, assim, a morte de um escravo ou até mesmo a sua fuga representava um enorme déficit financeiro aos fazendeiros, por isso, se preocupavam com grandes conflitos entre os escravos e os fazendeiros, mas mesmo assim tratavam os escravos como animais, o que gerou sérios conflitos no início do Brasil imperial.

Trabalho escravo no Brasil colonial

Escravos trabalhando na produção de açúcarO trabalho escravo conhecido também como escravidão foi a forma encontrada pela sociedade colonial de aumentar a produção sem o assalariamento. No Brasil, o período do trabalho escravo durou desde o período colonial até o início do período imperial. No período colonial e imperial, os indígenas deixaram de ser a principal mão de obra escrava, dando lugar aos escravos vindos do continente africano para trabalhar como mão de obra escrava na produção açucareira e posteriormente nas minas de ouro para a extração de minérios do Brasil colonial.

No período colonial do Brasil o trabalho escravo durava de 14 a 16 horas, recebiam somente trapos para usarem como roupas, tinham uma alimentação de péssima qualidade recebida no máximo duas vezes ao dia e ainda recebiam castigos corporais.

Trabalho escravo no Brasil imperial

Escravos dançandoDevido às péssimas condições de trabalho da escravidão do período colonial, surgem então as várias revoltas e fugas dos escravos das fazendas e a criação dos famosos Quilombos no início do período imperial, que nada mais é do que o refúgio dos negros, constituídas em comunidades organizadas, em que podiam praticar seus mitos religiosos e culturais e, além disso, os quilombos atacavam fazendas para conseguirem sua liberdade, mas mesmo assim o trabalho escravo continuou sendo utilizado até o início do período imperial.

Entre as mudanças ocorridas no final do período colonial e seguidas no início do período imperial estão às leis que reprimiam e aboliram o tráfico negreiro, como a Lei Eusébio de Queirós, em que o tráfico de escravos se tornou ilegal no Brasil colonial, sendo que a única solução era recorrer ao trabalho assalariado dos imigrantes.

Posteriormente houve a promulgação da Lei Áurea em 1888 que levou a abolição da escravidão no Brasil no final do período imperial.

As elites colonial e imperial temiam a abolição da escravidão, pois acreditava que ela trazia perdas financeiras, além de gerar uma revolta entre os escravos, por isso, a abolição demorou tanto no Brasil e só foi dada no final do período imperial, devido à pressão dos países estrangeiros que já haviam abolido o trabalho escravo.

Confira mais sobre trabalho escravo e período colonial e imperial

1 voto



Thaís
28/09/12


Mais informações por email.

Deixe uma resposta

Para comentar você precisa realizar seu login com o Facebook
  1. Muito bom. O texto está bem claro. Parabéns!

    Angélica
    28/12/13 às 17:36
  2. Muito legal adorei

    sphia
    20/11/13 às 23:52
  3. é muito legal gostei
    kkkkkk

    Paulo Ricardo
    08/10/13 às 22:31
  4. legal

    bruna
    15/04/13 às 9:45
  5. eeu adooreei a pesquisaa da aulaa de historiaaahuuuuul

    alexandre biazin
    20/03/13 às 11:27