Ilha de Páscoa história

Com pouco mais de 110Km², a Ilha de Páscoa é conhecida mundialmente pelas suas esculturas gigantes feitas em pedra vulcânica.

Moais na Ilha de PáscoaSendo considerada um dos lugares mais misteriosos do mundo, a Ilha de Pascoa é também conhecida como Rapa Nui (nome dado pelos habitantes), Ilha dos Gigantes de Pedra ou ainda “Umbigo do Mundo”. A 3.700 km a oeste da costa da América do Sul, fica sobre o território chileno e tem cerca de 3.000 habitantes que vivem em condições semelhantes ao isolamento: a área habitada mais próxima (a ilha de Pitcairn) está a uma distância de quase 2 mil quilômetros.

Geografia

Mapa Ilha de PáscoaCom 116 km², a Ilha de Páscoa situa-se entre a formação de vários vulcões, sendo os principais: Poike, ao leste, com cerca de 3 milhões de anos; Rano Kau, a sudeste e com aproximadamente 1 milhão de anos; e Maunga Terevaka, ao norte, cuja erupção há mais de 300 mil anos deu origem à Ilha, juntando duas grandes formações de material vulcânico já existentes no local. A Ilha se localiza ao sul da América do Norte e ao oeste da América do Sul.

As esculturas misteriosas

MoaiO grande mistério da Ilha gira em torno aos seus Moais: mais de mil esculturas gigantescas de pedra vulcânica que se assemelham ao formato de corpo e face humana. Essas esculturas variam de 3 a 10 metros de altura e chegam a algumas dezenas de toneladas de lava vulcânica petrificada. Não se sabe se ali foram construídas ou se foram transportadas através do mar do sul do Pacífico, sem a existência de máquinas ou de tecnologias para o transporte, dada a idade da ilha.

História

MoaisA justificativa que figura entre os habitantes da Ilha é que os Moais representam a história do povo da Ilha, como se essa fosse um estigma: vieram todos de uma ilha que estava condenada a desaparecer sob as águas. Dizem ainda que as esculturas gigantes foram transportadas das bases dos vulcões que cercam a Ilha, para espécies de plataformas artificiais que surgiram no mar, graças ao poder sobrenatural que um rei possuía. Essa mitologia tem extrema importância para grande parte dos moradores da Ilha e para os visitantes que se deparam com seus mistérios.

Descoberta em um domingo de Páscoa de 1722 pelo explorador holandês Jakob Roggeveen, o local chegou a ser chamado como Ilha de São Carlos, depois de ser rebatizada pela Espanha com o nome do santo protetor de seu imperador.

Publicado por Jessica
Revisado em 17/07/2017

Compartilhar

Comentar com Facebook

Receba novidades

Comentar